quinta-feira, outubro 26, 2006

GARCIA E SAMUEL PINHEIRO SAEM

Mesmo considerando o que o clima pró-Lula gerado pelas pesquisas de
intenção de voto favoráveis ao petista possibilita todo tipo de
especulação, a matéria publicada no Valor Econômico de ontem(25) é, no mínimo,
inusitada. E, afinal, diz o velho ditado, onde há fumaça...

Lula estaria inclinado a dar à sua política externa uma feição mais
próxima do que se esperaria de um eventual governo Alckmin. O presidente
estaria pensando em se aproximar dos EUA e imprimir um caráter comercial à
sua atuação internacional. Deixaria em segundo plano a dimensão
eminentemente política que requer a integração regional, tida e havida como
prioritária pela administração petista e um dos resquícios de plano de
governo que encarnariam os sonhos originais dos petistas de antigamente.

Lula, diz a matéria assinada por Raymundo Costa e Cristiano Romero,
chegaria ao ponto de retirar dos cargos Marco Aurélio Garcia, seu assessor
para assuntos internacionais (e que acumula a presidência do PT com a
coordenação da campanha presidencial lulista) e Samuel Pinheiro-Guimarães,
secretário-geral do Itamaraty e formulador da política sulamericanista do
primeiro mandato de Lula.

Agora, ambos são considerados "anti-americanistas" e estariam fora do
segundo mandato. Celso Amorim, atual ministro e apontado como “pragmático”,
ficaria no cargo.

Essas mudanças, se efetivadas, alterariam o frágil sistema de apoios sobre
o qual se equilibram Hugo Chávez, na Venezuela, e Evo Morales, da Bolívia.
Ambos contam com um Lula “sulamericanizado” para conter os ímpetos
imperialistas dos EUA na região.

Segue a matéria do Valor.

“Lula prepara inflexão pró-EUA na política externa”

Raymundo Costa e Cristiano Romero

“Sem modificar o discurso, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva
prepara-se para fazer uma inflexão na política externa. Talvez antes mesmo
do início do segundo mandato. Trata-se de uma mudança de fundo,
provavelmente a maior em estudos para o futuro governo do PT, na qual a
relação com os países ricos, especialmente os Estados Unidos, voltará a ser
articulada preferencialmente, ao contrário do que ocorreu nos últimos
quatro anos.”

“Com a reeleição de Lula no próximo domingo, como indicam as pesquisas, o
chanceler Celso Amorim deve permanecer à frente do Ministério das Relações
Exteriores. Mas o secretário-geral, Samuel Pinheiro Guimarães, e o assessor
especial para assuntos internacionais da Presidência, Marco Aurélio Garcia,
devem ser estrategicamente removidos para outros postos. No exterior, caso
de Samuel, ou mesmo cumprindo alguma missão no PT, caso de Marco Aurélio,
que atualmente acumula as funções de presidente do partido e de coordenador
da campanha de Lula, mas também pode ir para uma embaixada.”

“Os dois são considerados os principais ideólogos da marca anti-americana
impressa no Itamaraty, de agrado do PT, mas que sofre profunda oposição em
áreas do governo e do empresariado. Num sinal de que a política externa
mudará, o presidente Lula avalia o conselho dado por alguns ministros:
liderar uma caravana de empresários numa visita aos EUA, já no início do
primeiro ano do segundo mandato.”

O texto completo está em
http://www.valoronline.com.br/valoreconomico/285/primeirocaderno/politica/Lula+prepara+inflexao+pro-EUA+na+politica+externa,,,60,3967552.html

0 Comments:

Postar um comentário

Links to this post:

Criar um link

<< Home