quinta-feira, agosto 31, 2006

DENÚNCIA CONTRA O BRASIL RACISTA

O Brasil nunca foi um país racista e prova disso é que algumas das maiores autoridades da República, incluindo as forças armadas, e de empresas privadas são negras, certo?

Claro que não e todos os dias atos de racismo ficam impunes e desconhecidos. Mas, parece que isso não acontecerá no caso de discriminação sofrida em 4 de agosto, em Fortaleza, pelo pedadogo Paulo Roberto de Souza Silva, como relata a Agência de Informação Frei Tito para a América Latina (Adital, http://www.adital.com.br), também sediada na capital do Ceará.

"CASO PROVOCA PROTESTO CONTRA O RACISMO

Por Rogéria Araujo

Adital - Representantes de diversos movimentos sociais realizarão, no próximo sábado, 02 de setembro, um ato de protesto em frente a um dos supermercados Extra, em Fortaleza, Estado do Ceará. A mobilização tem como motivo a atitude racista tomada por funcionários do estabelecimento contra o pedagogo Paulo Roberto de Sousa Silva, no último dia 04 de agosto. Várias outras iniciativas foram tomadas para chamar a atenção para o problema.

No início do mês, Silva, acompanhado de sua companheira, fazia compras no supermercado Extra, do bairro Montese, quando, no momento do pagamento, o comprovante da autorização da compra apresentou dígitos diferentes do cartão de crédito portado pelo pedagogo. De acordo com ele, sem chances de esclarecimentos, o casal foi abordado por policiais e levado para uma delegacia. Na delegacia, nada foi provado contra eles. Para ele, este tipo de procedimento não seria igual se os clientes em questão fossem brancos.

"Fomos procurados pelo setor de relacionamento com os clientes do Grupo Pão de Açúcar, ao qual o Extra Supermercados pertence e nos reunimos no dia 18 de agosto, acompanhados dos advogados de ambas as partes, e, após relatar os fatos, o que tínhamos feito e o que pretendíamos fazer, indagados sobre como o Grupo Pão de Açúcar poderia se retratar, propomos indenização, retração pública e financiamento de campanha anti-racismo", esclarece Silva. Até o momento, a rede de supermercados ainda não se posicionou sobre as propostas.

Até hoje, cerca de 500 mensagens de apoio foram encaminhadas para Silva. A organização não governamental Brasil Centro de Direitos Humanos e Cidadania denunciou o fato à Comissão de Direitos Humanos e à Subcomissão de Igualdade e Inclusão do Senado Federal e à Secretaria Especial dos Direitos Humanos da Presidência da República. O deputado federal João Alfredo também encaminhou denúncia à Comissão de Direitos Humanos da Câmara Federal e à Secretaria Especial de Políticas de Promoção de Igualdade Racial, da Presidência da República."

1 Comments:

Blogger Fefe, O TNT said...

O cidadão está errado e quer indenização. Zorra total!!!

1:13 AM  

Postar um comentário

Links to this post:

Criar um link

<< Home